Página inicial‎ > ‎Artigos‎ > ‎

Fundação Maria Dias Ferreira - Lugares e Lugarejos de Ferreira do Zêzere 2009

 
 
 

Depois de em 2008, a Fundação Maria Dias Ferreira ter publicado a obra “Salvaguarda e Valorização dos Bens Culturais de Ferreira do Zêzere”, decidiu editar, em 2009, um trabalho inédito que não obstante ter sido elaborado há mais de meio século se mantém tão pertinente quanto actual.

Na sua actividade editorial, a Fundação Maria Dias Ferreira tem tido a preocupação de divulgar trabalhos académicos cujas temáticas estejam, de alguma forma, relacionadas com o Concelho de Ferreira do Zêzere.
Assim, depois de em 2008 se ter editado a obra ” “Salvaguarda e Valorização dos Bens Culturais de Ferreira do Zêzere”, trabalho da Drª Ana Torrejais, finalista do curso de conservação e restauro do Instituto Politécnico de Tomar, decidiu a Fundação publicar, este ano, um trabalho inédito que não obstante ter sido elaborado há quase seis décadas mantém a sua actualidade.
Em “Lugares e Lugarejos do Concelho de Ferreira do Zêzere”, a Dr.ª Maria Emília Baptista Pereira pesquisou dezenas de topónimos, estudou-os, agrupou-os e descreveu-os.
Fruto de uma excepcional dedicação, a autora, recorreu ao “Recenseamento Geral da População no Continente e Ilhas adjacentes em 12 de Dezembro de 1940” vol. XV, do Distrito de Santarém, onde fez uma primeira recolha dos nomes de lugares de cada freguesia.
Depois, complementou a primeira listagem recorrendo ao Volume 1 do Boletim da Junta de Província do Ribatejo de 1940.
Numa fase posterior foram elaborados verbetes, visitadas todas as 9 freguesias do Concelho, e consultados muitos dos moradores locais com vista ao apuramento de informações tais como a pronúncia ou as lendas acerca da origem dos topónimos.
Para uma jovem estudante universitária, viajar pelo Concelho de Ferreira do Zêzere em 1950 não terá sido tarefa simples ainda mais quando, em alguns casos, ao visitar os “informadores”, se apercebia que mesmo entre marido e mulher existiam diferenças na pronúncia dos nomes dos lugares. Pacientemente recolheu, tratou e divulgou os resultados das suas pesquisas.
Não sendo natural do Concelho de Ferreira do Zêzere, a autora viveu e fruiu sempre este Concelho como o seu, por vontade própria, por paixão e por ser a terra de origem dos seus familiares maternos.
Volvido mais de meio século é pois com um enorme carinho que a Fundação Maria Dias Ferreira presta homenagem à autora desta obra, enriquecendo com este seu notável trabalho uma colecção de publicações que visa, desde a primeira hora, promover o conhecimento da história, do património e das tradições deste Concelho.