Página inicial‎ > ‎Artigos‎ > ‎

Fundação Maria Dias Ferreira - Campos de Férias para Jovens 2009

 
 
 
Pelo segundo ano consecutivo, a Fundação apoiou a realização de dois campos de férias para os mais jovens dando a conhecer as belezas do Concelho de Ferreira do Zêzere
Proporcionar aos jovens experiências de vida em grupo, onde estes sintam os valores da solidariedade, da importância de confiarem em si e nos outros, do trabalho em equipa, do desenvolvimento dos seus talentos, do respeito pelo outro, tudo isto num ambiente de grande alegria, confraternização e responsabilidade, são iniciativas que acreditamos se enquadram nos objectivos da Fundação Maria Dias Ferreira e como tal devem ser por esta apoiadas.
Depois das experiências de 2008, com a realização de 2 campos de férias que envolveram cerca de 100 jovens, voltámos a ter em 2009 a realização de 2 campos de férias, subordinados aos temas “Vem e segue-me” e “A vida em directo”.
 
O apoio da Fundação Maria Dias Ferreira a estas iniciativas é essencialmente logístico (cedência de instalações, viaturas de apoio e diverso equipamento). Importa também destacar o apoio prestado pela Autarquia e por várias Associações locais a estas iniciativas.
 
O campo de férias “Vem e segue-me” abrangeu 24 animadores e 54 jovens e fomenta nestes o gosto pela natureza, pela vida em comunidade e pelo espírito de serviço aos outros. Assente numa dinâmica intergeracional, onde os mais novos percebem que falar abertamente com os mais velhos é algo que é possível e deve ser natural, este campo promove ainda os valores da família como essenciais a uma boa estruturação dos jovens.

O campo de férias “A vida em directo” abrangeu 22 jovens do Bairro da Fonte da Prata, concelho da Moita, e 12 animadores, entre os 19 e os 65 anos, de vários pontos do país , num total de 35 pessoas. Durante uma semana e como dizia um animador, foram-se “criando laços e pintando sorrisos na cara de cada um”.
O objectivo, ao longo do campo, foi aprender a viver a “Vida em directo”, sem estarmos escondidos atrás dos computadores e dos telemóveis, incentivar a comunicação olhos nos olhos, pensar mais nos outros e menos em nós, descobrir a alegria de partilhar sonhos e desejos. Sentir em cada dia a vontade de ir mais fundo, mais longe e de ser MAIS, rejeitando a fatalidade de viver uma vida “à superfície”.