Página inicial‎ > ‎Artigos‎ > ‎

Capela de São Sebastião em Jamprestes, Chãos

 
 
 
Ficha Técnica
 
 
Característica Arquitectura Religiosa

Classificação Capelas

Localização Chãos

Especialista Dr.ª Ana Torrejais

Morada Freguesia dos Chãos, Lugar de Jamprestes
 

Referência a_Chãos_21

Propriedade Bispado de Coimbra

Enquadramento Inserida no centro do lugar de Jamprestes, rodeada pelo casario, a capela de São Sebastião goza de um enquadramento péssimo pois, não respeitando a área de envolvência do templo, foi iniciada a construção do centro de convívio do povoado. Não obstante, a entrada da capelinha é antecedida por um lanço de escadaria, no início da qual foi edificado um marco cruzeiro.

Notícias Históricas De acordo com António Baião, o Dr. Pedro Álvares Seco, no seu Treslado do livro das comendas da Ordem de Nosso Senhor Jezus Christo (terceiro quartel do século XVI), refere-se à ermida de São Sebastião de João Prestes, a qual era provida de confraria e bens.
Por sua vez, de acordo com os relatos orais que tive oportunidade de recolher, na reconstrução da capelinha de São Sebastião foram utilizadas várias pedras provenientes de um templo arruinado, existente no alto do morro de São Pedro, o qual seria de invocação a este mesmo santo. Na verga da porta principal preserva-se uma datação referente ao ano de 1774.

Descrição Arquitectónica A capelinha de São Sebastião de Jamprestes trata-se de um templo de planta longitudinal e nave única, com cobertura em telhado de duas águas, na junção das quais se ergue a cruz de Cristo. A fachada principal é constituída por porta ladeada por duas pequenas janelas rectangulares e encimada por fresta; do lado direito da empena ergue-se o campanário. Por sua vez, na lateral sul da capela destaca-se o volume da sala de sacristia, provida de acesso pelo exterior e iluminada por meio de fresta.
O interior da capelinha é de cobertura de dois planos, não madeirados, sendo o pavimento recoberto por mosaico cerâmico e existindo um passadiço central em cantaria que se prolonga desde a entrada principal até à capela-mor. O acesso a este espaço, iluminado por meio de uma fresta rasgada no lado da Epístola, é realizado por meio de um arco cruzeiro de volta perfeita e um desnível de dois degraus.

Património Integrado As paredes do corpo central do templo, assim como as da capela-mor, foram recentemente revestidas por um silhar azulejar de oitos unidades de altura, de produção industrial e executados nos tons de azul e branco, cujos elementos obedece a um módulo de repetição de 2X2/2 azulejos.
Da imaginária existente nesta capelinha, destaca-se a imagem coroada de Nossa Senhora com o Menino, colocada junto do arco cruzeiro, do lado do Evangelho. Esta imagem, de grandes dimensões, foi trazida de França há alguns anos atrás por um emigrante, nascido no lugar de Jamprestes. Já na capela-mor, o respectivo retábulo, esculpido em talha policromada, é ocupado pelas imagens quinhentistas de São Pedro (lado do Evangelho) - proveniente da capela de São Pedro - e de São Sebastião (lado da Epístola), ambas de produção popular, as quais ladeiam um nicho central onde se encontra Nossa Senhora de Fátima. Por fim, na sala de sacristia, foi adossado a uma das paredes um lavatório renascentista, de belíssima cantaria esculpida em alto relevo, peça igualmente proveniente da capelinha do morro de São Pedro.

Estado de Conservação Edifício reabilitado, com manutenção regular. Aparentemente, o estado de conservação do imóvel e do correspondente património integrado revela-se estabilizado. Porém, a imaginária quinhentista, que se apresenta bastante repintada, denuncia situações preocupantes de destacamentos ao nível da camada policroma.

Grau 4 - Edifício reabilitado ou reconstruído.
 
 

Artigos Relacionados
 
 
 
 
Bibliografia
 
SEQUEIRA; Gustavo de Matos (dirc.); Inventário Artístico de Portugal; Volume III: Distrito de Santarém; Lisboa; Academia Nacional de Belas Artes; 1949; Página 41