Página inicial‎ > ‎Artigos‎ > ‎

Capela de Santa Apolónia nas Telhadas, Areias

 
 
 
Ficha Técnica
 
 
Característica Arquitectura Religiosa

Classificação Capelas
 
Localização Areias
 
 
Especialista Dr.ª Ana Torrejais
 
Morada Freguesia de Areias, lugar dasTelhadas
 
Referência a_Areias_13
 
Propriedade Bispado de Coimbra

Enquadramento A capela de Santa Apolónia localiza-se no centro do lugar das Telhadas, sendo rodeada por casario e por uma estrada que lhe é contígua.
 
Notícias Históricas O padre António Carvalho da Costa, na sua Corografia Portugueza, reporta-se à capela de Santa Apolónia.
 
Descrição Arquitectónica Apresenta-se a capela de Santa Apolónia como um templo de planta longitudinal e cobertura em telhado de duas águas, na junção das quais se ergue o campanário encimado pela cruz de Cristo.
Compõem a fachada principal um porta ladeada por duas janelas de boas proporções. Na cantaria do lintel da entrada foi esculpido, em alto-relevo, o que parece ser uma representação do monte Gólgota. Na fachada norte destaca-se o corpo da sacristia, provida de janela e acesso pelo exterior.
O interior é de nave única, não existindo qualquer demarcação entre este espaço e a capela-mor. O tecto é madeirado e de três planos, sendo o pavimento recoberto por meio de mosaico cerâmico. Ao centro, existe um falso passadiço executado a mosaico de cor diferente, o qual se prolonga desde a entrada até à mesa de altar.
 
Património Integrado A peça mais importante pertencente ao espólio deste templo é Santa Apolónia (0.545m altura), imagem quinhentista de carácter popular, a qual me pareceu ser produzida em terracota.
Da restante imaginária fazem parte um Sagrado Coração de Jesus, uma Nossa Senhora de Fátima, uma Nossa Senhora com o Menino e um Cristo Crucificado. Existe ainda uma outra Santa Apolónia, de recente produção, que ocupa agora o lugar do primitivo orago no nicho central da parede frontal.
 
Estado de Conservação Edifício reabilitado, com manutenção regular. No entanto, o estado de conservação da Santa Apolónia quinhentista é preocupante, carecendo esta imagem de intervenção urgente.
 
Classificação: Grau 3 - Edifício que denuncia um estado de conservação razoável.

 
Bibliografia
 
ALMEIDA; Dr. José António Ferreira de (Coord.); Tesouros Artísticos de Portugal; Lisboa; Selecções do Reader’s Digest; 1976; página 266

COSTA; Padre António Carvalho da; Corografia Portugueza (...); Tomo III; Lisboa; Oficina Real Deslandesiana; 1712; Fólios

SEQUEIRA; Gustavo de Matos (dirc.); Inventário Artístico de Portugal; Volume III: Distrito de Santarém; Lisboa; Academia Nacional de Belas Artes; 1949; Página 39