Página inicial‎ > ‎Artigos‎ > ‎

Capela de Nossa Senhora da Purificação no Cardal, Ferreira do Zêzere

 
 

Ficha Técnica
 
 
Característica Arquitectura Religiosa

Classificação Capelas
 
Localização Ferreira do Zêzere
 
 
Especialista Dr.ª Ana Torrejais

Morada Freguesia de Ferreira do Zêzere, Lugar do Cardal
 
Referência a_Zezere_29
 
Propriedade Bispado de Coimbra

Enquadramento A capela de Nossa Senhora da Purificação localiza-se sensivelmente ao centro do povoado do Cardal, num adro sobrelevado, onde foi igualmente construído um telheiro que serve de apoio à realização dos festejos anuais em honra da padroeira.
 
Notícias Históricas Preservam-se na capela de Nossa Senhora da Purificação várias lápides com inscrições. Assim sendo, no telheiro que antecede a entrada principal, pode ler-se o seguinte: «Este Alp.e foi mandado construir por Júlio N. Silva. Dez.o 1963». Por sua vez, na fachada principal existe uma lápide com a inscrição: «Reconstruída em 1982». Já a verga do portal ostenta a datação de 1751.

Descrição Arquitectónica A capela de Nossa Senhora da Purificação do Cardal trata-se de um edifício reabilitado ao longo dos tempos por várias campanhas construtivas. Não obstante, obedece a uma planimetria longitudinal de nave única, cuja fachada principal é antecedida por um alpendre, elemento inovador introduzido no ano de 1963. É esta fachada constituída por um portal de lintel ligeiramente curvo, ladeado por duas pequenas janelas quadrangulares e encimado por óculo. Termina numa empena curvilínea que se sobrepõe a uma empena triangular, delimitada por dois fogaréus e sobrepujada por uma cruz de Cristo.
Do corpo do templo destaca-se, na lateral norte, o volume correspondente à sala de sacristia, dotada de acesso pelo exterior, igualmente antecedido por um pequeno alpendre. Esta dependência encontra-se directamente justaposta à capela-mor, mais baixa e estreita que a nave central, mas igualmente dotada de cobertura em telhado de duas águas.
Pelo interior, eleva-se sobre o portal principal um pequeno coro-alto. A cobertura do corpo central é de três planos, sendo o pavimento madeirado. Acede-se à capela-mor por intermédio de um arco cruzeiro de volta perfeita e desnível de um degrau. Neste espaço, rasga-se, do lado esquerdo, o acesso à sala de sacristia. A cobertura é em abóbada de caixotões e o pavimento lajeado, formando, em frente do altar-mor, uma cruz de Cristo.

Património Integrado Contrariamente ao que seria de esperar para um templo de tão reduzidas dimensões, a capela de Nossa Senhora da Purificação conserva no seu interior uma importante riqueza decorativa que se concentra na capela-mor. O altar, produzido em talha policromada, preserva no nicho central a imagem da padroeira, escultura de madeira do século XVIII: Nossa Senhora da Purificação, transportada por um coro de querubins, segura nos braços o Menino. A imagem apresenta-se coroada, adornada por vestes esvoaçantes, enquanto que na mão esquerda ostenta um incensório. Juntamente com a padroeira, encontra-se uma outra pequenina imagem, alusiva a Nossa Senhora da Conceição. O altar-mor é ainda ladeado por duas gravuras interessantes representativas do Sagrado Coração de Maria e do Sagrado Coração de Jesus. Por sua vez, também os caixotões da abóbada da capela-mor foram decorados por meio de pinturas murais de elementos vegetalistas. Este espaço é iluminado por uma pequena lanterna de vara, feita de folha de ferro, decorada com os furos habituais; a chama alimentada a azeite mantém incessante a sua vigília.
Da restante imaginária deste templo, destacam-se duas pequeninas imagens alusivas a Nossa Senhora da Conceição e a Santo António com o Menino, justapostas ao arco cruzeiro.
Por fim, deve ser referido que o interior da capelinha de Nossa Senhora da Purificação foi recentemente revestido por um silhar de azulejos de produção industrial, numa altura de 8 azulejos, cujos exemplares, executados em tons de azul e branco, se repetem de acordo com um módulo de 2X2/2 unidades.

Estado de Conservação A capela de Nossa Senhora da Purificação trata-se de um edifício reabilitado, que goza de manutenção regular, revelando-se o estado de conservação do imóvel e do correspondente património integrado, aparentemente estabilizado. Não obstante, os frescos da abóbada da capela-mor, revelam algum desgaste pictórico.
 
Grau 3 - Edifício que denuncia um estado de conservação razoável.

Intervenções Realizadas Edifício reconstruído no ano de 1982.
 
 
Bibliografia
 
SEQUEIRA; Gustavo de Matos (dirc.); Inventário Artístico de Portugal; Volume III: Distrito de Santarém; Lisboa; Academia Nacional de Belas Artes; 1949; Página 36