Página inicial‎ > ‎Artigos‎ > ‎

Capela de Nossa Senhora da Encarnação nos Cumes, Chãos

 
 
 
Ficha Técnica

Característica Arquitectura Religiosa

Classificação Capelas
 
Localização Chãos
 

Especialista Dr.ª Ana Torrejais
 
Morada Freguesia de Chãos, Lugar dos Cumes
 
Referência a_Chãos_20
 
Propriedade Bispado de Coimbra
 
Enquadramento A Capela de Nossa Senhora da Encarnação é enquadrada por casario típico do lugar. Perto, obedecendo a essa mesma rusticidade, foi recentemente construído o centro de convívio do povoado.
 
Notícias Históricas Em 1873, Pinho Leal, no seu Dicionário de Portugal Antigo e Moderno, cita a capela de Nossa Senhora da Encarnação, sita no lugar de Cumes, a qual havia sido mandada fazer por um vigário da paróquia no ano de 1690, realizando-se então a sua festa a 25 de Março.
Também o Santuário Mariano cita a imagem milagrosa de Nossa Senhora da Encarnação, com a qual «imagem tem os vizinhos daquelle lugar muyta devoção & assim em seus apertos & necessidades recorrem aos seus poderes, & com a grande fé com que a invocão achão promptos os remedios».
Por sua vez, na fachada principal conserva-se uma lápide com a seguinte inscrição: «Capela de Nossa Senhora da Encarnação. Restaurada em 1994 pelo povo da terra.»

Descrição Arquitectónica Templo de planta longitudinal, com cobertura em telhado de duas águas, na junção das quais se ergue a cruz de Cristo. A fachada principal é constituída por porta rectangular, encimada por óculo, e cunhais. Do lado direito da empena, ergue-se um pequeno campanário. O interior é de nave única, de cobertura não madeirada em três planos, e pavimento recoberto por mosaico cerâmico. Não existe qualquer demarcação entre o corpo central do templo e o espaço reservado à capela-mor.
 
Património Integrado A imagem de Nossa Senhora da Encarnação, que ocupa um nicho central esculpido em pedra de talhe maneirista, trata-se de uma reprodução do orago primitivo, o qual foi recentemente furtado. Era a imagem original esculpida em madeira, e estava datada como sendo do século XVII.
Conserva-se ainda no interior desta capelinha, uma imagem antiga de São Sebastião, proveniente de uma primitiva capela dedicada ao santo, cujas ruínas ainda se mantêm no lugar da Cumeada. Infelizmente, não foi possível resgatar o nicho esculpido em cantaria que se encontrava neste templo, o qual, segundo informações que pude recolher no local, apresentava um talhe ainda mais requintado que o da capela de Nossa Senhora da Encarnação.
As paredes do corpo central do templo foram recentemente revestidas por um silhar azulejar de oitos unidades de altura, de produção industrial e executados nos tons de azul, amarelo e branco, cujos elementos obedecem a um módulo de repetição de 2X2/2 azulejos.
 
Estado de Conservação Edifício reabilitado, com manutenção regular. Aparentemente, o estado de conservação do imóvel e do correspondente património integrado revela-se estabilizado. Porém, a imagem de São Sebastião apresenta-se bastante repintada.
 
Classificação: Grau 4 - Edifício reabilitado ou reconstruído

Intervenções Realizadas Templo reabilitado no ano de 1994.
 
 
 
Artigos Relacionados
 
 
 
Bibliografia
 
ALMEIDA; Dr. José António Ferreira de (Coord.); Tesouros Artísticos de Portugal; Lisboa; Selecções do Reader’s Digest; 1976; página 198

COSTA; Padre António Carvalho da; Corografia Portugueza (...); Tomo III; Lisboa; Oficina Real Deslandesiana; 1712; Fólios

LEAL; Augusto Soares d’ Azevedo Barbosa de Pinho; Portugal Antigo e Moderno (...); 11 Volumes; Lisboa; Livraria Editora de Mattos Moreira & Companhia , 1873 a 1882; Volume 7; Página 11

MARIA; Frei Agostinho de Santa; Santuário Mariano (...); 9 Tomos; Lisboa; Oficina de António Pedroso Galhão; Tomo 3º; Fólios 496 a 497

SEQUEIRA; Gustavo de Matos (dirc.); Inventário Artístico de Portugal; Volume III: Distrito de Santarém; Lisboa; Academia Nacional de Belas Artes; 1949; Página 41